Chefe da Polícia da Itália cobra mais expulsões de ilegais

Franco Gabrielli enviou circular pedindo reforço nos controles

Por meio de uma circular enviada a todas as delegacias da Itália, o chefe da Polícia de Estado do país, Franco Gabrielli, cobrou a intensificação dos serviços de controle e "afastamento" de estrangeiros irregulares na península.

Citando uma "crescente pressão migratória" e um "cenário internacional marcado pela instabilidade e por ameaças", o documento destaca a necessidade de aumentar as atividades voltadas à proteção do território.

Segundo Gabrielli, é preciso conferir "impulso máximo" ao rastreamento de cidadãos estrangeiros que estão vivendo de maneira ilegal em solo italiano e à consequente deportação dessas pessoas.

Em 2016, a entrada de imigrantes sem documento no país via mar Mediterrâneo cresceu 17,8%. Ao todo, 181.283 deslocados externos desembarcaram no litoral da Itália ao longo do ano, sendo a maioria deles da África Subsaariana.

Além disso, a península está na mira dos jihadistas do Estado Islâmico (EI), ainda mais por abrigar o Vaticano, coração do catolicismo. A Itália é o único grande país da Europa Ocidental que não sofreu atentados de matiz islâmica neste século.