Na Bulgária, oposição surpreende e vai para 2º turno

Roumen Radev não tinha aparecido como favorito em pesquisas

Na Bulgária, as eleições presidenciais, cuja votação aconteceu neste domingo, dia 7, não foram decididas no primeiro turno, o que não era esperado no país. No entanto, a maior surpresa deste domingo foi que quem ultrapassou a favorita de todas as pesquisas, a conservadora Tsetska Tsacheva do partido Cidadãos para o Desenvolvimento Europeu da Bulgária (Gerb), foi o candidato oposicionista da legenda Socialista Búlgaro (BSP), Roumen Radev.

    "Hoje os búlgaros disseram 'não', à apatia e votaram por uma volta por cima", disse Radev ao saber dos resultados favoráveis a ele. Segundo as últimas projeções do resultado das presidenciais conduzidas pelas agências Gallup International e Alpha Research, Radev conta com 24,6% dos votos contra os 21,5% de Tsacheva. Nenhum dos dois candidatos, no entanto, conseguiu obter 50% mais um dos votos nas eleições e, por isso, disputarão a Presidência da Bulgária no segundo turno, que está marcado para o dia 13 de novembro. 

A afluência nas urnas no domingo foi de 53%, dado ruim considerando que este foi o primeiro ano no qual o voto é obrigatório. As eleições presidenciais acontecem em uma situação social difícil, marcada por uma crise econômica latente e pela crise migratória que o país enfrenta. A Bulgária é o país mais pobre da União Europeia e várias camadas sociais da nação continuam em situação de pobreza. (ANSA)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais