Resolução de Moscou sobre a Síria 'pegou todos de surpresa' 

O projeto de resolução alternativa sobre a Síria e a situação em Aleppo, apresentado pela Rússia no Conselho de Segurança da ONU apanhou de surpresa os países ocidentais, segundo informa o canal Fox News. "A apresentação no último minuto de uma resolução alternativa por parte da Rússia no final da tarde de sexta-feira (7) pegou os partidários ocidentais da resolução francesa de surpresa", destaca a edição on-line do Fox News. Vários diplomatas têm sublinhado que se trata de uma "decisão brilhante" por parte de Moscou, uma vez que obriga a Ocidente a vetar a resolução russa, da mesma forma que a Rússia, certamente, vetará o projeto de resolução francês. 

As votações para aceitar ou rejeitar as resoluções apresentadas pelos dois países serão realizadas no sábado (8). O projeto de resolução russo apoia a iniciativa do enviado especial da ONU, Staffan de Mistura, para retirar os combatentes da Frente al-Nusra da cidade de Aleppo, e apela a implementar os acordos sobre a Síria alcançados pelos EUA e a Rússia no dia 9 de setembro. Ele apela também a um imediato cessar-fogo, em particular, em Aleppo, e propõe que uma equipe de trabalho do Grupo Internacional de Apoio a Síria se ocupe da observação do seu cumprimento. Também se insiste na urgência de separar as forças da oposição "moderada" dos grupos radicais. 

O projeto francês, por sua parte, foca-se na situação em Aleppo, chama a recomeçar o regime de cessar-fogo acordado em 9 de setembro. Além disso, propõe proibir os voos de aviões militares sobre a cidade, apelando a punir todos os que violem este ponto. Depois de a França apresentar a sua proposta, o embaixador da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, disse que esta iniciativa "não busca atingir um progresso e ultrapassar o beco sem saída em que se encontra a situação, mas que tem como objetivo provocar o veto da Rússia no Conselho de Segurança.