O mito do gás de xisto americano

Em ambiente de promessas dos produtores dos EUA de aumentar o investimento na extração do petróleo e gás de xisto, a agência Sputnik tenta esclarecer e explicar se os hidrocarbonetos de xisto são os coveiros do setor de petróleo e gás russo ou simplesmente uma especulação à escala mundial. 

Baixa rentabilidade 

O gás de xisto é um gás natural que consiste principalmente de metano. Ele é extraído de jazidas que ficam em rochas sedimentárias principalmente nos EUA. Nos anos 2012-2014, a extração do gás de xisto permitiu aos EUA se tornarem líder a nível de extração do gás natural e deixar para trás a Rússia, que realiza a extração de gás natural de forma tradicional. Mas a tecnologia do gás de xisto é muitas vezes mais cara do que a tradicional e, em caso de preços baixos dos hidrocarbonetos, não será rendável.

Os acontecimentos dos anos 2015-2016 mostraram que o ponto de vista de que o gás de xisto funciona como uma bolha económica parece ser verdadeiro. Na primavera de 2016, em comparação com o outono de 2014, nos EUA ficaram apenas ¼ dos equipamentos de perfuração. Os poços não rendáveis logo fecharam, mas o uso reforçado dos poucos campos rendáveis permitiu suavizar o tempo de queda da extração.

Questões ecológicas

Apesar de tudo, o problema enorme do gás de xisto é que a extração afeta gravemente o ambiente. O uso de tecnologia de fraturamento hidráulico causa a poluição de largas áreas de terreno, o que ameaça a agricultura e o uso de águas minerais no local de extração. Por isso a extração do gás de xisto se adaptou relativamente nas regiões ermas dos EUA, mas até agora não se adaptou na Europa, onde os solos e a água são recursos de valor elevado.

A tecnologia de fraturamento hidráulico causa enorme dano para a ecologia do local de extração. Os especialistas em ecologia contaram que a solução usada na extração contem 596 denominações de agentes químicos. 

O que é perigoso não é apenas a solução em si, mas também os compostos que se levantam para fora do solo como resultado do fraturamento. Em áreas de extração é observada a morte de animais, aves e peixes e córregos em ebulição com metano. Os animais de estimação ficam doentes, perdem pelos e morrem. Os produtos tóxicos entram na água potável e no ar. Os americanos que têm a infelicidade de viver perto de locais de extração sofrem dores de cabeça, perda de sentidos, neuropatia, asma, envenenamento, câncer e muitas outras doenças. 

"Os países que vão produzir o gás de xisto, enfrentarão a mesma coisa que aconteceu conosco. Primeiro haverá um pequeno boom e novos postos de trabalho, mas quando a bolha rebentar, restará apenas o mau ambiente e uma infraestrutura destruída. <…> Isso acontecerá também na Letônia, na Irlanda e na Ucrânia. O povo enfrentará mais problemas do que tinha antes", disse a professora Wendy Lee da Universidade de Bloomsburg, nos EUA, citada pelo portal ruxpert.

O surgimento do gás de xisto no mercado mundial influenciou a procura do gás russo, e isso deu o pretexto para se dizer que o gás de xisto americano faria desmoronar os preços de petróleo e gás tradicionais. 

Mas, segundo muitos especialistas, a extração de hidrocarbonetos de xisto fica sem esperanças de ter mercado. O preço de custo dele é pelo menos cinco vezes maior do que o tradicional. Muitos anos de extração mostram que as corporações sofrem grandes perdas. Por que as companhias continuam uma extração que queima seu dinheiro?

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais