Em Turim, milhares fazem fila para comer massa e ajudar vítimas do terremoto

Mais de 3 mil pratos foram servidos em Turim

Milhares de italianos fizeram longas filhas na praça San Carlo, em Turim, para comer a tradicional "pasta à amatriciana" e ajudar as pessoas afetadas pelo forte terremoto que atingiu a região central da Itália na última quarta-feira (28).    

A ação foi criada pela Defesa Civil para arrecadar fundos para as cidades que sofreram com o sismo e não havia valor determinado pelo prato. Cada pessoa decidia o quanto pagar pelo macarrão - que foi servido em duas versões: a tradicional, com guanciale (um tipo de bacon), queijo pecorino e molho - ou uma vegana - sem a carne do porco.    

O famoso "spaghetti alla amatriciana" surgiu na cidade de Amatrice, um das mais atingidas pelo tremor e que conta, até o momento, com 229 mortos na tragédia. Também na pequena comuna italiana seria realizado, neste domingo (28), o festival da receita, razão pela qual centenas de turistas estavam na cidade.    

"Essa foi uma atitude verdadeiramente bonita. Acredito que a solidariedade faz parte da história da nossa cidade", disse a prefeita local, Chiara Appendino. Já um dos representantes da Defesa Civil, afirmou que a ideia surgiu "porque queríamos ajudar de alguma maneira".    

Parte dos cerca de 80 voluntários do grupo que cozinhou a massa é o mesmo que, em 2009, fez uma ação parecida para ajudar os atingidos pelo terremoto de Áquila, que deixou 309 mortos. Ao todo, foram servido mais de três mil pratos de macarrão, totalizando 780 quilos de massa, 80kg de guanciale e 80kg de cebola.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais