Sem acordo com Farc, colombianos pedem paz

Um acordo era previsto até dia 20 de julho

Colombianos foram às ruas de todo o país na última quarta-feira, dia 20, para celebrar os 206 anos de Independência da Espanha e pedir paz, ainda que o tão esperado acordo com o grupo guerrilheiro Farc não tenha sido anunciado, como era esperado.

    O tradicional desfile militar teve neste ano o tema "A Paz é a Vitória". O presidente Juan Manuel Santos, um dos maiores entusiastas das negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, por sua vez, disse diante do Senado que "este pode ser o último 20 de julho que iremos comemorar em um país em guerra".

    "Há cerca de um ano, o fim do conflito com as Farc era uma esperança. Hoje me sinto muito feliz, e todos temos motivos para estar, pois esta esperança está se convertendo em realidade para todos os habitantes do país", acrescentou.

    Santos se comprometeu no mês passado a assinar o acordo de paz com o grupo no prazo de um mês, o que não foi concretizado ontem. Já havia sido anunciado que um acordo definitivo seria alcançado em 23 de março deste ano, desavenças entre o grupo guerrilheiro e representantes de Bogotá impediram que o prazo fosse cumprido, no entanto. O conflito armado entre as Farc e o Exército colombiano é considerado o mais antigo da América do Sul. Em seus anos de maior atuação, o grupo chegou a cometer sequestros, ataques e assassinatos para defender seus ideais, entre eles a reforma agrária e a criação de um Estado socialista. Desde 1964, o conflito já matou mais de 220 mil pessoas na Colômbia. As Farc também integraram a lista internacional de organizações terroristas e chegaram a ter 7,8 mil soldados atuando em florestas e nas fronteiras. (ANSA)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais