Itália prende brasileira e mais 12 por tráfico de imigrantes

Grupo organizava viagens clandestinas para o norte da Europa

A Polícia de Estado da Itália executou nesta quarta-feira (20) 13 mandados de prisão preventiva contra estrangeiros acusados de exploração da imigração clandestina, incluindo uma cidadã brasileira. 

Realizadas em Monza, Milão, Brescia e Veneza, as detenções fazem parte da operação "Transitus", que investiga o tráfico de seres humanos no país. Entre os presos estão seis egípcios, três albaneses, dois romenos e um sírio, além da brasileira. 

Os suspeitos estão legalmente na Itália e têm idades entre 26 e 45 anos. Segundo a Polícia de Estado, eles ajudavam imigrantes clandestinos que desembarcavam na costa italiana a chegarem ao norte da Europa. Também foram apreendidos veículos que teriam sido usados nas viagens. 

O inquérito é conduzido pela Direção Distrital Antimáfia de Milão, que se baseou nas denúncias de um egípcio que recusara uma oferta da quadrilha para trabalhar como "transportador" de imigrantes. O chefe do grupo é um homem de 37 anos, também egípcio, que mantinha contato direto com traficantes que organizam as "viagens da morte" no mar Mediterrâneo. 

Os clandestinos chegavam a Milão em furgões superlotados e em seguida eram levados para nações como Alemanha, Dinamarca e Holanda. Eles pagavam de 500 (R$ 1,8 mil) a mil euros (R$ 3,6 mil) pela viagem. A brasileira - cuja identidade não foi divulgada - atuava como motorista, assim como os romenos e albaneses. (ANSA)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais