Justiça da Colômbia aprova plebiscito sobre acordo com Farc

Para presidente, trata-se de um 'momento histórico'

 A Corte Constitucional de Justiça colombiana aprovou a realização de um plebiscito sobre o processo de paz com o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).    

Para o presidente Juan Manuel Santos, um dos maiores apoiadores das negociações, trata-se da votação "mais importante" da história para a população de seu país.    "Será um momento histórico, verdadeiramente histórico, no qual teremos a oportunidade e a responsabilidade de fazer sentir nossa voz", acrescentou o líder.    

A data da votação, no entanto, ainda não foi estipulada, mas deve ser convocada após seja alcançado um acordo de paz, cujo anúncio pode ser feito muito em breve.    

Consciente de que o seu antecessor, o líder opositor Álvaro Uribe, tem a intenção de fazer campanha a favor da abstenção, Santos conseguiu aprovar como quórum mínimo para que a decisão seja válida 13% dos eleitores ou 4,4 milhões dos colombianos.    

Na cédula, o eleitor poderá escolher entre três opções: sim, não ou voto em branco.    

As negociações entre militantes das Farc e as autoridades de Bogotá tiveram início em 2012 em Havana, Cuba. Com a aprovação, chega ao fim um conflito armado de mais de 50 anos na Colômbia, que já deixou mais de 220 mil pessoas mortas.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais