Jeb Bush culpa Papa por ascensão de Donald Trump

Republicano disse que Francisco interferiu em assuntos internos

Derrotado nas primárias republicanas para a Casa Branca, o ex-governador da Flórida Jeb Bush culpou o papa Francisco por parte do sucesso alcançado pelo magnata Donald Trump, que está a poucos dias de ser oficializado como candidato à Presidência dos Estados Unidos.    

Em entrevista ao canal "MSNBC", o irmão de George W. Bush afirmou que a missa celebrada pelo líder da Igreja Católica no município mexicano de Ciudad Juarez, na fronteira com os EUA, interferiu na política norte-americana e contribuiu para o crescimento do bilionário.    

A homilia ocorreu em 17 de fevereiro, às vésperas da prévia da Carolina do Sul, que teve Trump como vencedor e culminou na desistência de Jeb Bush. Na época, o magnata insistia na proposta de construir um muro entre Estados Unidos e México para controlar a entrada de imigrantes ilegais em seu país.    

"A interferência do Papa não ajudou. A imprensa não falava de outra coisa, e Trump - é preciso reconhecer - foi inteligente para aproveitar a oportunidade", afirmou o ex-governador da Flórida. Contudo, ele admitiu que Francisco podia não saber que estava "interferindo" nos assuntos internos dos EUA.    

A missa de Ciudad Juarez teve um forte discurso do Pontífice em defesa dos imigrantes, o que fez Trump dizer que o líder católico estava sendo "manipulado" pelo governo do México. Em seguida, durante seu retorno ao Vaticano, o Papa afirmou que uma pessoa que pensa em levantar muros "não é cristã".