'Clarin': Justiça argentina embarga bens de Cristina Kirchner

Matéria publicada nesta quinta-feira (7) no jornal argentino Clarín, conta que a gestão da ex-presidente (2007-2015) é alvo de diversas denúncias de corrupção. Nesta quarta-feira (06), Cristina Kirchner esteve no tribunal Comodoro Py, em Buenos Aires, onde recebeu a notificação formal de seu indiciamento no processo dos dólares futuros. Ela já havia sido indiciada no último dia 13 de abril.

A reportagem relata que na saída a ex-presidente falou à imprensa. Ela reclamou do fato de não ter sido notificada em sua residência atual, em Rios Gallegos, na Patagônia, no sul do país. “Essa perseguição chegou a níveis ridículos”, disse. “São denúncias absolutamente falsas”.  

“Há um modus operandi que inclui espetáculos midiáticos”, afirmou. A ex-presidente também se queixou da gestão atual do presidente Mauricio Macri pelos aumentos nas contas de gás e a queda do consumo no país. “É uma estratégica midiática para não discutir estes temas”, disse. A ex-presidente acusou o juiz federal Claudio Bonadío, responsável pelo processo, de perseguição.

Segundo o Clarín, a justiça espera que Cristina explique uma manobra do Banco Central argentino, durante sua gestão, que supostamente teria provocado uma perda de milhões de dólares aos cofres públicos.