Com parada militar, Rússia celebra 71 anos da vitória na 2ªGM

Mais de 10 mil militares marcharam em Moscou

A Rússia celebrou nesta segunda-feira (09) os 71 anos da vitória soviética sobre os nazistas na Segunda Guerra Mundial com um parada militar que reuniu mais de 10 mil militares em Moscou.    

O presidente Vladimir Putin acompanhou o desfile dos oficiais e, pelo segundo ano consecutivo, desfilou no "Regimento dos Imortais". O grupo reúne os cidadãos comuns que perderam parentes durante a Guerra e que marcham carregando as fotos de seus entes queridos. No caso do presidente, ele portava uma imagem de seu pai, Vladimir Spiridonovich Putin.    

Durante seu discurso, o líder russo alertou para novas "lutas" nos tempos atuais e prometeu combater o terrorismo.    

"As lições da história nos ensinam que a paz no nosso planeta não surge sozinha. Atualmente, a nossa civilização enfrenta, mais uma vez, uma crueldade e uma violência desconhecidas. O terrorismo converteu-se em uma ameaça global e estamos obrigados a vencer esta nova ameaça", disse Putin.    

Segundo o mandatário, seu país "está pronto para unir forças" com outras nações do mundo e também quer criar "um novo sistema de segurança internacional fora dos blocos tradicionais".    

Sobre a vitória na Guerra, o presidente ainda falou aos cidadãos que estavam na Praça Vermelha - e também aos que acompanhavam o evento pela televisão, em rede nacional - que foi "o povo soviético que levou a liberdade aos outros povos".    

"Esta festa tornou-se símbolo da afinidade entre a Rússia e seu povo. A nossa força, a nossa segurança e a nossa dignidade residem nesta unidade e na fidelidade à pátria.    

Além de discursar e de participar da marcha, Putin depositou flores no Túmulo do Soldado Desconhecido, próximo ao Kremlin, ao lado do presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarabayev, e do primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev.