Atiradores matam oito policiais no Egito

Grupo egípcio ligado ao Estado Islâmico assume autoria do atentado em subúrbio do Cairo

Homens armados mataram oito policiais à paisana durante a noite na periferia ao sul de Cairo, comunicou o Ministério do Interior do Egito, neste domingo (8). Uma ramificação egípcia da organização extremista Estado Islâmico (EI) revindicou a autoria da chacina.

Segundo o Ministério do Interior, quatro agressores pararam ao lado de uma caminhonete e alvejaram um veículo da polícia, fugindo em seguida. Os atiradores usavam máscaras, disseram à agência de notícias Reuters moradores de Helwan, área industrial na orla da capital.

Em um comunicado em árabe, o grupo afiliado ao Estado Islâmico escreveu numa de suas contas no Twitter que o ataque visava vingar "as mulheres puras mantidas em prisões pelos apóstatas".

O movimento, que jurou lealdade ao EI em novembro de 2014, reivindicou a maioria dos atentados dos últimos três anos contra as forças de segurança do Egito, nos quais centenas de policiais e soldados morreram.

Desde meados de 2013 – época que o então chefe do exército Abdel Fattah al-Sisi foi deposto pelo presidente islâmico Mohamed Mursi após protestos em massa –, o governo do Egito vem enfrentando uma onda de insurgência que matou centenas de soldados e policiais, a maioria na Península do Sinai.