França desiste de nomear embaixador gay na Santa Sé

Laurent Stefanini foi designado para representar Paris na Unesco

A França desistiu definitivamente de indicar o homossexual assumido Laurent Stefanini como embaixador na Santa Sé, após o Vaticano ter se recusado a aceitar suas credenciais diplomáticas durante mais de um ano.

Com isso, Stefanini foi designado como embaixador de Paris na Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O diplomata havia sido escolhido em janeiro de 2015 pelo presidente François Hollande para representar a França na Santa Sé.

Stefanini foi o "número dois" da Embaixada francesa perante o Vaticano, mas ainda assim suas credenciais não foram aceitas pela Igreja. Oficialmente, a Santa Sé nunca fechou as portas para o francês, mas a demora em dar uma aprovação foi considerada como uma recusa.

Para a imprensa de Paris, o motivo é justamente a homossexualidade declarada do embaixador. Por outro lado, especula-se que a resistência do Vaticano tenha se dado por conta da insistência do país europeu em impor uma candidatura sem levar em conta sua opinião.

Sendo assim, o posto de embaixador da França na Santa Sé continua vago, e agora Hollande deverá escolher outra pessoa. Em 2008, a Igreja já havia vetado Jean-Loup Kuhn Delforge, atual representante francês na Grécia, alegando que ele era abertamente homossexual.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais