Indonésia ameaça deportar Leonardo DiCaprio por ativismo ambiental

O governo da Indonésia ameaçou deportar o ator norte-americano Leonardo DiCaprio do país. O motivo seriam as críticas feitas pelo astro de Hollywood à forma como a indústria local de óleo de palma prejudica o meio-ambiente e destrói ecossistemas. De acordo com informações da agência Ansa, contudo, DiCaprio já não estava mais em solo indonésio quando a ameaça foi feita.

O vencedor do Oscar de Melhor Ator deste ano e ativista ambiental chegou ao país asiático no último sábado (26), do Japão, e se reuniu com defensores ambientais que lutam para proteger o habitat da floresta tropical de Leuser, na ilha de Sumatra.

O local sofre com o desmatamento gerado pelas plantações de palma, que colocam em risco a sobrevivência da fauna local, representada por elefantes, orangotangos, rinocerontes e tigres. Em sua conta no Instagram, DiCaprio publicou uma foto da viagem em meio a ativistas do Parque Nacional Leuser  e denunciou que a "plantação de palma está fragmentando a floresta e reduzindo os caminhos migratórios dos elefantes, tornando mais difícil para esses animais e sua famílias encontrarem fontes adequadas de comida e água".

O ator e organizações de Sumatra querem construir um "um mega santuário da fauna" do parque. A colaboração seria feita através da Ong do norte-americano, a Leonardo DiCaprio Foundation. No entanto, o governo da Indonésia não gostou da ideia e das críticas.

De acordo com o diretor geral para Imigração do país, Ronny Sompie, em entrevista ao jornal Republika, o visto do artista é apenas de turista e "se ele estiver na Indonésia para outros propósitos, participando de atividades de atrapalham a ordem pública e que ferem os interesse do país, autoridades estarão prontas para deportá-lo".

* Da 'Ansa Brasil'