Comitê do FMI autoriza segundo mandato de Lagarde

A atual presidente continuará no comando por mais 5 anos

O comitê executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) autorizou por unanimidade nesta sexta-feira (19) um novo mandato de Christine Lagarde à frente da Presidência do órgão.    

Em nota, o grupo a definiu como "uma líder forte e sábia" para liderar a organização por mais cinco anos. A francesa de 60 anos era a única candidata ao posto e sua reeleição era apoiada pelas principais economias do mundo. O novo mandato começará a valer a partir de 5 de julho.    

Em sua carreira, Lagarde foi ministra das Finanças da França entre os anos de 2007 e 2011 e já havia atuado como líder das pastas de Agricultura e de Comércio Exterior.    

A francesa assumiu o cargo de presidente do FMI em 2011, após o afastamento do então mandatário Dominique Strauss-Kahn, envolvido em um escândalo sexual, e é a primeira mulher a ocupar o posto mais alto de um dos mais importantes órgãos econômicos do mundo. Mesmo não tendo formação em Economia, sendo formada em Direito Comercial, ela conseguiu ter prestígio para assumir o comando do órgão.    

Durante sua gestão, Lagarde deu atenção aos países que são considerados os "novos mercados" - como os Brics - e àqueles que lideram o crescimento econômico mundial. Além de contar com o apoio de Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido e França, a decisão de inserir a moeda chinesa, o yuan, no painel monetário internacional fez com que ela recebesse total apoio também de Pequim.