Parlamento da Venezuela suspende sessão declarada nula pelo Supremo

O parlamento da Venezuela suspendeu nesta terça-feira (12) a sessão que deu posse a três deputados banidos pelo Supremo Tribunal do país. Ontem, a Corte da Venezuela havia declarado as decisões da Assembleia Nacional nulas, enquanto os três membros da oposição permanecerem como deputados.

O presidente do parlamento, Henry Ramos Allup, um feroz opositor do Presidente Nicolás Maduro, declarou que faltava à Assembleia Nacional quórum para prosseguir os trabalhos e suspendeu a sessão até quarta(13) de manhã.

Segundo fontes parlamentares, a oposição, maioria na nova legislatura eleita em dezembro, se preparava hoje para consultar seus juristas com o objetivo de combater a decisão do Supremo Tribunal de invalidar suas decisões, argumentando que o órgão jurídico está ligada ao chavismo.

Em plena crise institucional, o parlamento venezuelano tinha, em um primeiro momento, reforçado o seu braço de ferro com o Governo chavista ao manter a sessão de hoje, apesar da decisão judicial da véspera de invalidar qualquer ação do poder legislativo.

Na segunda-feira (11), o confronto entre os poderes legislativo e judiciário adquiriu novas dimensões quando o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela anunciou que todas as decisões da Assembleia Nacional eram inválidas, porque três deputados anti-chavistas tinham sido empossados na semana anterior apesar de suspensos pelo STJ.

Em consequência, a Corte avisou que consideraria nulos os atos do parlamento, passados e futuros, enquanto os três deputados continuassem em funções.

A escassez de bens de primeira necessidade e a inflação alta (200% segundo os especialistas) vem provocando descontentamento da população, o que beneficiou a oposição.

* Da Agência Lusa

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais