'The Guardian': Google financia congressistas dos EUA para suspender processo de $€ 6 bilhões na UE

US $ 3,5 milhões para suspender política antitruste, através de lobby e campanhas de políticos

Matéria publicada nesta quinta-feira (17), no The Guadian, revela que a empresa americana Google recrutou membros do Congresso dos EUA, através do financiamento de suas campanhas, para pressionar a União Europeia a suspender um processo antitruste no valor de $€ 6 bilhões, que ameaçava dizimar os negócios da empresa de tecnologia dos EUA na Europa. O esforço coordenado por senadores e membros da Câmara dos Deputados, além de uma comissão do Congresso, interligava uma sofisticada rede em Bruxelas, significativamente ampliada pelo Google, com investimento de milhares de libras, para afastar a possibilidade de sua posição dominante no Europa.

Uma investigação feita pelo The Guardian, sobre essa campanha multifacetada do Google na Europa revelou novos detalhes de suas atividades e métodos. Com base nos documentos obtidos havia um pedido de liberdade de informação e uma série de entrevistas com funcionários da UE, deputados e lobistas em Bruxelas. A investigação também descobriu:

• O co-fundador e CEO do Google, Larry Page conheceu o então chefe da comissão Europeia em particular, na Califórnia, na Primavera de 2014 e levantou o caso antitruste apesar de ser advertido por funcionários da UE que seria inadequado fazê-lo.

• Funcionários e legisladores em Bruxelas dizem ter testemunhado uma expansão significativa dos esforços de lobby do Google nos últimos 18 meses, quando a empresa começou a enfrentar suspeitas de suas atividades na Europa.

• Google empregou vários ex-funcionários da UE como lobistas e financiou agências e pesquisas universitárias favoráveis à sua posição dominante no mercado.

Em novembro de 2014 aconteceu uma intervenção mais agressiva em Capitol Hill, quando vieram membros do Parlamento Europeu decididos a votar por uma resolução da UE que considerava romper suas negociações com a Google em várias empresas. Senadores e congressistas, republicanos e democratas, que receberam doações significativas do Google para  suas campanhas, montante avaliado em centenas de milhares de dólares, inclinaram-se sobre o parlamento em uma série de casos semelhantes.