Macri recua em designação de juízes após ampla rejeição na Argentina

Presidente argentino nomeou magistrados sem aprovação do Senado

O presidente da Argentina, Mauricio Macri adiou a posse de dois juízes  da Suprema Corte de Justiça , designados por ele, até o próximo ano devido à rejeição provocada no país pelo ato.

A primeira grande controvérsia do governo de Macri começou na segunda-feira, quatro dias após sua posse, quando informaram que ele havia nomeado dois magistrados sem a aprovação do Senado, hoje controlado pelo kirchnerismo opositor.

O presidente se amparou em um artigo da Constituição que permite ao Executivo nomear em comissão, ou seja, interinamente, os cargos que precisam da aprovação do Senado, mas constitucionalistas indicaram que o poder do poder executivo em designar cargos em comissão não engloba funcionários da justiça.

A decisão de Macri causou atrito entre a aliança conservadora Cambiemos, que o levou ao poder com o apoio do partido União Cívica Radical (UCR), e deflagrou a convocação de uma primeira marcha contra ele na tarde desta quinta-feira.