Juíza que condenou Leopoldo López dirigirá Defensoria

A Assembleia Nacional (AN) venezuelana designou a juíza Susana Virginia Barreiros Rodriguez como diretora da Defensoria Pública Geral para os próximos sete anos.    Ela ficou conhecida por condenar o opositor Leopoldo López a mais de 13 anos de prisão.    

A escolha foi rechaçada pela oposição. Segundo o grupo, a magistrada é profundamente questionada sobre sua ética e moral.    

Grupo, que garantiu no último domingo "supermaioria", ou seja, dois terços dos assentos no Congresso, tem como sua prioridade aprovar uma lei de anistia que liberte os chamados presos políticos, entre eles López.    

O presidente da AN, Diosdado Cabello, ironizou, dizendo que se ela "tivesse libertado aquele que mandou matar 43 pessoas, seguramente a direita teria erguido um santuário para ela, mas atuou com valentia".    

Barreiros sentenciou López a 13 anos, 9 meses, 7 dias e 12 horas de prisão por incitar a violência durante uma onda de manifestações contrárias ao governo de Nicolás Maduro que deixou, em fevereiro de 2014, mais de 40 mortos.