'El País': Urkullu rejeita o modelo Catalão de soberanismo unilateral

Matéria publicada dia 4 de novembro no El País, por Pedro Gorospe,  analisa que o unilateralismo catalão não é o caminho. Inigo Urkullu Ibarretxe assegurou, dentro das novas instalações da Cadena Ser em Bilbao, no centro da capital basca, que não se pode criar um estado dentro da UE "do dia para a noite", e menos ainda, através de uma declaração unilateral, como o projeto da Catalunha. Urkullu diz que é plenamente consciente de que muitos catalães estão irritados com os sucessivos governos em Madrid e, de certa forma, ele sugere que muitos cidadãos desta comunidade estão sendo forçados devido a "falta de personalidade" do Estado espanhol, com diferentes nacionalidades. 

A reportagem diz que na quarta de manhã, ele confirmou que o diálogo e o acordo são a maneira de reformar o Estado. Entrevistado por Pepa Bueno disse: "Eu não acredito em unilateralismo, bilateralismo e estou defendendo o Estado espanhol." "Um estado independente não se cria da noite para o dia" e em qualquer caso, seria resultado de um processo de diálogo e negociações". "Eu tenho defendido uma política de antifrentismo, para eliminar trincheiras. Eu entendo a abordagem do PNV, porque estamos em um período pré-eleitoral e as nomeações de Rajoy tem um cunho eleitoral. Mas, novamente, é uma decisão do PNV. Esta reunião e tais reuniões deveriam ter ocorrido há muitos anos para debater o modelo de Estado."Ibarretxe, disse que a violação do modelo atual é uma mancha vermelha que não pode acontecer". Em relação às consultas com advogados, o nacionalista de esquerda no Parlamento Basco apresentou um certificado de naturalização para um referendo em 2016. Urkullu disse, junto ao seu partido, que esta iniciativa tem sido atribuída a uma tentativa interna de independência e a interesses políticos com a proximidade das eleições. "Eu tenho grande respeito pelas iniciativas, mas devo dizer que não há um relatório no qual todos os grupos estão  fazendo um diagnóstico, uma apresentação, introduzindo iniciativas com uma necessidade interna e de caráter eleitoral."

EH Bildu ontem apresentou uma proposta como resposta  para o "não à frente, e negação da acusação, que está se formando em Madrid" em relação às negociações constitucionais entre as partes. "Esta é a nossa resposta", disse o presidente e orador parlamentar Sortu EH Bildu, Hasier Arraiz.