Farc pede a Parlamento que atue com responsabilidade na análise do conflito

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pediram neste sábado (25/7) que o Parlamento colombiano "atue com suma responsabilidade" ao analisar a culpa no conflito armado que já dura meio século na Colômbia.

O negociador por parte das Farc Pablo Catatumbo disse que Parlamento precisa agir sem apelar a velhos truques midiáticos para distorcer o sentido do processo de paz e que embora exista uma maioria parlamentar a favor da conciliação, com exceção da bancada do ex-presidente Álvaro Uribe, prevalece a ideia de que a guerrilha é a única responsável pelo conflito.

Segundo Catatumbo , está sendo "vendida a velha ideia de que a guerra foi protagonizada por uns bons, muito bons, que foram atacados por uns maus, muito maus, sobre os quais todo o peso da lei deve recair.

O governo de Juan Manuel Santos e as Farc entraram em acordo até agora sobre três dos seis pontos da agenda de paz, e acordaram um programa de medidas para parar o conflito, além do estabelecimento de uma Comissão da Verdade para estabelecer as responsabilidades no conflito armado.

Bogotá e a guerrilha retomaram na última quinta-feira suas negociações de paz. Delegados dos dois lados começaram a abordar simultaneamente três temas - o fim do conflito, justiça e indenização das vítimas - em mesas de trabalho separadas a fim de acelerar as negociações.