Sobe para 37 número de mortos em atentado na Tunísia

Subiu para 37 o número de mortos no ataque a um hotel de Sousse, estação balneária do leste da Tunísia, no norte da África. Pelo menos seis pessoas ficaram feridas. Inicialmente foram reportadas 28 mortes. O atentado foi realizado por um homem armado. O jornal francês Le Monde publicou nesta sexta-feira (26/06) os relatos de testemunhas que estavam presentes no momento do ataque.

Um porta-voz do ministério tunisiano evocou "um ataque terrorista" visando o hotel Marhaba em Sousse, situado no sudeste de Tunis. “Turistas estão entre as vítimas”, acrescentou, sem dar detalhes sobre a nacionalidade deles. 

A imprensa internacional informa, no entanto, que os hóspedes eram em sua maioria britânicos e da Europa central. No momento do ataque "havia 565 clientes no hotel. Os clientes são majoritariamente do Reino Unido e da Europa central", indicou o grupo em um comunicado. Segundo uma autoridade tunisiana, uma irlandesa também estaria entre os mortos.

>> Tunísia: ataque a hotel deixa mortos

>> 'Le Monde': testemunhas relatam pânico em atentado na Tunísia

Segundo um empregado do hotel citado pela agência Reuters, "um homem abriu fogo com uma metralhadora kalachnikov sobre turistas e os tunisianos que estavam na praia do hotel".

"Havia apenas um atirador. Era um jovem que usava um short como se ele próprio fosse um turista".

O Le Monde falou com Marie-Astrid, que estava na praia no momento dos tiros: "Era mais ou menos meio-dia, eu tomava sol na praia, ouvimos um som parecido com detonações, mas primeiro achamos que eram fogos de artifício. Ninguém reagiu. Em seguida houve uma segunda rajada de tiros. Aí, todo mundo entrou em pânico. Entramos no hotel para nos esconder, em um quarto. Colocamos camas sobre as portas. Ouvíamos explosões. Depois de trinta minutos, conseguimos chegar à recepção. Nos disseram que o exército e a polícia estavam intervindo”.

"Deixamos a praia o mais rápido possível, em pânico", contou Gary Pine, um turista britânico presente no local do atentado, ao canal Skynews.

"Meu filho de 22 anos tinha acabado de voltar ao mar e o olhávamos a partir da praia quando ouvíamos o barulho de fogos de artifícios a cem metros à nossa esquerda. Muito rápido, as pessoas começaram à fugir da praia, em pânico. (...) Eu estou agora na recepção [do hotel El Mouradi Palm Marina] com cerca de outros 200 turistas estrangeiros. Havia muita gente no hotel. Neste momento reina um silêncio de morte. Estamos ouvindo o som dos pássaros".

O atirador, que teria, segundo as primeiras informações, agido só, foi  abatido, relatou o ministério do interior tunisiano. Seria um estudante tunisiano desconhecido pelos serviços de polícia, segundo uma fonte ministerial tunisiana. Porém o porta-voz do ministério do interior tunisiano não descartou que o ataque possa ter sido feito por mais de uma pessoa.