Após revelações de espionagem, França convoca embaixadora dos EUA

O chanceler francês Laurent Fabius convocou a embaixadora dos Estados Unidos na França, Jane Hartley, nesta quarta-feira (24), após vir à tona a informação de que o governo americano espionou os três últimos presidentes franceses.

A convocação foi feita após uma reunião do Conselho de Defesa, da qual participaram o presidente François Hollande e de seus principais ministros nas áreas militar e de inteligência.

Ao fim do encontro, a presidência anunciou em comunicado: "A França não tolerará nenhum ato que questione sua segurança. Os compromissos assumidos pelas autoridades americanas, que se comprometeram no fim de 2013 a não espionar mais os aliados, devem ser recordados e estritamente respeitados."

François Hollande convoca reunião por causa de escutas dos EUA 

Hollande convocou a reunião na terça-feira, depois da divulgação de documentos do WikiLeaks sobre espionagem dos Estados Unidos a chefes de Estado franceses. 

Segundo documentos do WikiLeaks revelados pelo diário Libération e pelo portal Mediapart, os Estados Unidos espionaram, entre 2006 e 2012, os três últimos presidentes franceses: Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande.

Os documentos, classificados como top secret, consistem em cinco relatórios da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês), baseados em “interceptações de comunicação”, que eram destinados à “comunidade das informações” dos EUA e a dirigentes da NSA, segundo o Libération.

Os relatórios esclarecem o modo de funcionamento e tomada de decisão de Hollande e dos seus antecessores.

O documento mais recente é de 22 de maio de 2012, apenas alguns dias depois de Hollande tomar posse, e dá conta de reuniões secretas destinadas a discutir a eventual saída da Grécia da zona do euro.