Cerca de 2,5 mil imigrantes são resgatados perto da Líbia

Apenas nesta segunda-feira (22), a Guarda Costeira italiana socorreu 15 embarcações clandestinas ao longo da costa da Líbia e salvou 2.518 mil imigrantes. Todos os barcos estavam a cerca de 100 milhas do litoral do país africano, cuja crescente instabilidade tem contribuído de maneira determinante para a crise migratória no mar Mediterrâneo.

Apesar de coordenadas pela Itália, as operações de resgate contaram com a ajuda de navios irlandeses, espanhóis e noruegueses, todos inseridos na força-tarefa Triton, criada pela União Europeia para conter as "viagens da morte" na região.

Além disso, nesta segunda, um imigrante morreu baleado em uma embarcação clandestina que seguia para a costa italiana. Os tiros teriam partido de uma patrulha líbia e feriram outra pessoa, que foi levada de helicóptero para um hospital na ilha de Lampedusa.

Quase diariamente, barcos ilegais partem da África rumo ao sul da Europa e, frequentemente, afundam em alto mar e causam grandes tragédias. No início de março, a agência da União Europeia para controle de fronteiras (Frontex) já havia alertado que entre 500 mil e 1 milhão de pessoas estavam prontas para deixar a Líbia ao longo de 2015.

    Como a Itália fica a menos de 300 km de distância por água do país africano, acaba sendo a principal porta de entrada para imigrantes clandestinos no continente.