China rejeita acusações dos EUA sobre ataque de hackers

Dados de 4 milhões de funcionários dos EUA foram violados

A China rejeitou nesta sexta-feira (5) as acusações lançadas pelos Estados Unidos sobre um ataque de hackers contra sites do governo norte-americano. De acordo com Pequim, as suspeitas de Washington são "irresponsáveis". "Sabemos que os ataques de hackers acontecem de maneira anônima e transnacional, e que é difícil encontrar a fonte.

Por isso, é irresponsável e pouco científico fazer acusações sem uma investigação profunda", disse o porta-voz do ministro chinês das Relações Exteriores, Hong Lei. Segundo a imprensa internacional, o ataque cibernético pode ter violado o acesso a dados de quatro milhões de funcionários do governo armazenados em sites do Gabinete de Gestão Pessoal. Os hackers puderam ler informações como números de seguraça social, avaliação do trabalho e treino dado aos funcionários. As pessoas afetadas começarão a ser notificadas a partir de 8 de junho.

    Citando fontes oficiais, os jornais norte-americanos disseram que o ataque foi iniciado em dezembro e detectado em abril. As autoridades acreditam que a invasão tenha partido da China e que esta seria a segunda grande violação do país aos dados dos EUA.

    (ANSA)