Rússia só volta ao G8 se tiver 'valores comuns', diz Merkel 

Chanceler falou ao Parlamento sobre encontro do G7

 A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que a Rússia só voltará a se reunir com o G8 (os oito países mais ricos do mundo) se reconhecer os "valores comuns" do grupo. A afirmação foi dada durante uma intervenção da líder política no Bundestag (Parlamento) nesta quinta-feira (21) 

"Até que a Rússia não volte a reconhecer os valores comuns, não se pode voltar a ter o G8. [Essa é] uma comunidade que compartilha os mesmos valores: a liberdade, a democracia, o estado de direito, o respeito da soberania dos países e a integridade territorial. 

O atual modo de agir da Rússia não está em sintonia com esses valores", declarou a chanceler. O discurso de Merkel ocorre pouco menos de um mês antes da reunião do atual G7, que vai ocorrer nos dias 7 e 8 de junho em Schloss Elmau, no distrito de Garmisch-Partenkirchen. Segundo a alemã, nesse encontro serão debatidos alguns temas que se apresentam como desafios mundiais. 

Entre eles, estão a "situação na Ucrânia, no Oriente Médio, a ameaça do terrorismo e o ebola". Para ela, será necessário não apenas falar sobre os problemas, mas "será preciso dar respostas em conjunto aos desafios globais". Os russos foram "descartados" do encontro dos países mais ricos do mundo em junho do ano passado após a crise na Ucrânia ter tomado proporções de guerra civil. A comunidade Ocidental acusa o país governado por Vladimir Putin de incitar e fornecer armas aos separatistas que lutam contra o governo de Kiev.    

Na época da suspensão, os membros do G7 afirmaram que a medida era apenas "temporária" e que iria depender do "comportamento" de Moscou sobre o país vizinho. A Rússia participava das reuniões do G8 havia 16 anos.