Diante de ameaças, presidente do Iêmen deixa cargo

O presidente do Iêmen, Abed Rabbo Mansour Hadi, renunciou nesta quinta-feira, dia 22, ao cargo, após dois dias preso em sua residência por rebeldes xiitas.    

Hadi, um aliado dos Estados Unidos na luta contra a Al Qaeda na região, teria sido pressionado a renunciar diante de ameaças feitas pelos Houthis. O anúncio se soma à renúncia do primeiro-ministro, Khaled Babah, e do restante do Gabinete, enquanto rebeldes xiitas Houthis cercam o Palácio Presidencial.    

O Parlamento iemenita rechaçou o anunciou e convocou uma reunião especial nesta sexta-feira, dia 23, para debater a situação, informou a emissora árabe Al Arabiya.    

Os Houthi começaram a agir em setembro do ano passado no país, sendo que a capital, Sana, foi tomada nos últimos dias por ações que resultaram em enfrentamentos com militares.    

Na última quarta-feira, no entanto, foi anunciado que membros do governo e rebeldes entraram em um acordo de cessar-fogo, apesar dos milicianos se manterem posicionados nas proximidades da residência presidencial e da sede do Governo.