'El País': Uma nova página em nossa história comum

Conferência de Veracruz vai consolidar Íbero-América mais próspera, diz presidente do México

O jornal espanhol El País publicou neste domingo um texto escrito pelo presidente do México, Enrique Peña Nieto. O líder do país destaca a importância da Conferência Íbero-Americana, realizada anualmente há 23 anos. “A Íbero-América é o resultado de nossa história compartilhada e reflete nossas raízes, nossos valores e nossa cultura. Os vínculos profundos que nos unem transformam a Íbero-América em um espaço privilegiado para o diálogo e a cooperação.

Com esta visão, há mais de duas décadas, os países da América Latina, junto com a Espanha e Portugal, promovemos a criação da Conferência Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo, cuja primeira edição foi realizada na cidade de Guadalajara, México, em 1991. Vinte e três anos depois de sua criação, a Conferência Íbero-Americana segue vigente e os propósitos compartilhados que levaram a sua criação persistem.

Hoje, a conferência reúne 22 nações, que congregam 650 milhões de pessoas, ou seja, cerca de 10% da população mundial; aliás, em conjunto, o PIB de nossos países equivaleria à terceira economia global. Para continuar impulsionando este potencial, durante a última Cúpula, celebrada no Panamá em outubro de 2013, nos comprometemos a compartilhar e analisar estratégias regionais para a promoção de políticas sociais eficazes de acordo com as necessidades de nossa região transatlântica.

Depois de um processo profundo de reflexão para renovar nosso foro, o México tem a honra de hospedar, na bela e simbólica cidade de Veracruz, a XXIV Cúpula Iberoamericana nos dias 8 e 9 de dezembro. Nossa nação recebe os Chefes de Estado e de Governo dos países integrantes com o calor humano que caracteriza o povo mexicano, convencida de que o trabalho conjunto revitalizará e dinamizará este importante mecanismo de diálogo. Sob o lema “Educação, Inovação e Cultura”, a Conferência Ibero-Americana volta a suas origens com o objetivo de seguir construindo uma história comum que responda a nosso renovado ânimo de cooperação.

Para isso, ao longo de 2014 trabalhamos na reforma da Conferência Ibero-Americana, no financiamento de projetos de política pública e em novos mecanismos de prestação de contas. Também gerimos uma nova partilha de cotas, a reestruturação das oficinas sub-regionais e a integração de estratégias dos diferentes organismos ibero-americanos a cargo de um Comitê de Direção Estratégica. Além disso, estabelecemos uma periodicidade bienal das conferências Ibero-Americanas.

Sem dúvida, a região Ibero-Americana tem um modelo de cooperação inovador que se estabeleceu como exemplo para o mundo. Este modelo, somado aos 32 programas, iniciativas e projetos que se desenvolvem nas áreas de cultura, coesão social e do conhecimento, são tidos como experiências pioneiras e referências valiosas por numerosos países e organismos internacionais.

Com isto em mente, lembro as palavras do rei Juan Carlos da Espanha, que, durante sua participação na histórica Cúpula de Guadalajara, destacou que “acima de nossas preocupações nacionais, desponta um sentimento comum que todos dividimos: a vontade de trabalhar juntos pelo bem-estar e a prosperidade de nossos povos”. Com esse espírito, estou certo de que a Conferência em Veracruz nos permitirá consolidar uma região mais forte, próspera e inclusiva, que privilegie a formação integral das novas gerações”.