Príncipe tailandês proíbe esposa de usar sobrenome real

Medida foi tomada após estourar um escândalo de corrupção

Por conta de um escândalo de corrupção, o príncipe herdeiro da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, proibiu a sua esposa, a princesa Srirasm, e a família dela de usarem o sobrenome real Akarapongpreecha. A decisão foi comunicada pelo futuro rei em uma carta ao Ministério do Interior do país asiático. Vajiralongkorn, de 62 anos, se casou com Srirasm em 2001 e com ela tem um filho de nove. Esse é o terceiro matrimônio do herdeiro ao trono tailandês, mas a proibição é vista por analistas locais como um prenúncio do divórcio.   

A medida foi tomada após cerca de 20 pessoas, incluindo familiares da princesa que são altos dirigentes da Polícia, terem sido presas sob a acusação de enriquecerem ilicitamente usando o prestígio do sobrenome Akarapongpreecha, que fora concedido a Srirasm e sua família em 2001.    

Os negócios investigados pela Justiça incluem a gestão de cassinos ilegais e contrabando de petróleo. O caso foi noticiado com embaraço e muitas reticências pela imprensa da Tailândia, dada a delicadeza do tema em um país onde vige a lei de lesa-majestade mais severa do mundo, ainda mais em um período onde o envelhecimento do rei Bhumibol Adulyadej, de 86 anos, suscita incógnitas sobre sua sucessão.