Homem-bomba mata pelo menos 41 crianças em escola da Síria

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) informou que pelo menos 41 crianças foram mortas hoje (1º), em um duplo atentado contra uma escola de Homs, cidade controlada pelas forças governamentais do presidente Bashar Al Assad e situada a 160 quilômetros a Oeste da capital Damasco. Além das crianças, mais sete pessoas, sendo quatro civis e três homens das forças de segurança, foram mortos no ataque.

O bairro onde fica a escola é majoritariamente composto pela comunidade alauita, minoritária na Síria e origem do presidente Al Assad. O governador de Homs, Talal Al Barazi, confirmou as mortes, acrescentando que as crianças tinham entre 6 e 9 anos.

De acordo com a OSDH, organização não governamental (ONG) sediada em Londres e que recolhe informações de uma rede de militantes e profissionais da saúde no interior da Síria, muitas crianças que estavam na escola permanecem desaparecidas. Conforme a ONG, um homem-bomba colocou explosivos em um ponto da escola e se explodiu em outro local, aumentando a fatalidade do atentado. “Havia corpos totalmente desmembrados”, informou um representante da OSDH.

Em junho deste ano, dois atentatos atingiram o mesmo bairro. Os ataques foram atribuídos a rebeldes que combatem o regime de Al Assad. Os oposicionistas ao governo são, sobretudo, sunitas, maioria na Síria e mesmo grupo religioso que compõe o Estado Islâmico. De acordo com a ONU, desde o início dos protestos no país, em março de 2011, o conflito já provocou a morte de mais de 190 mil pessoas.