Governo de Kiev autoriza fechamento de fronteiras

 O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, firmou um decreto que autoriza o governo a fechar, temporariamente, as fronteiras terrestres e marítimas com a Rússia. O mandatário afirmou, nesta quinta-feira (25), que a medida atinge tanto veículos como a circulação de pessoas. O objetivo, segundo o texto, é "resolver, em respeito ao procedimento estabelecido, a questão do fechamento temporário da passagem de veículos, transportes marítimos, a pé... e também, no caso de necessidade, o fechamento temporário das fronteiras por outros meios de transporte".

    Além disso, Poroshenko afirmou que o país pedirá, oficialmente, a adesão à União Europeia em 2020. Segundo ele, as reformas estruturais pelas quais a Ucrânia passará nos próximos seis anos farão com que a nação possa pleitear uma vaga no bloco econômico.

Fossas comuns

Os rebeldes separatistas anunciaram hoje ter descoberto mais fossas comuns próximas à cidade de Donetsk, onde é sua base militar e política. Segundo Alexander Zakharcenko, premier da autoproclamada República de Donetsk, foram encontrados 40 corpos em três fossas: uma com vítimas civis e as outras duas com cadáveres de milicianos e soldados ucranianos.

Fuga de capital

As constantes sanções ocidentais à Rússia estão fazendo com que o governo de Moscou tema a saída de US$ 120 bilhões até o final deste ano. A estimativa foi feita pelo vice-ministro de Desenvolvimento Econômico, Alexiei Viedev. Também pelas sanções, a China anunciou que congelará o pagamente antecipado de US$ 25 bilhões para financiar a construção do gigantesco gasoduto siberiano. O contrato para a construção estima que US$ 400 bilhões serão necessários para a obra. (ANSA)