Coalizão realiza novos ataques contra o Estado Islâmico na Síria

Obama se reuniu com países árabes 

A coalizão internacional realizou na noite de ontem (23) 13 novos ataques aéreos contra alvos do grupo jihadista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) perto da cidade curda de Ain al-Arab na Síria, informou nesta quarta-feira (24) a Organização Não Governamental (ONG) Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

    "Antes e depois da meia-noite aviões vindos da Turquia lançaram vários ataques contra locais e vias de abastecimento do EI", informou a ONG.

    Os ataques aconteceram a quase 35 quilômetros a oeste e ao sul de Kaboné, que fica na fronteira com a Turquia, informou Rami Abdel Rahman, chefe do OSDH. Os novos ataques acontecem a quase 24 horas dos primeiros realizados pelos Estados Unidos (EUA) e pelos seus aliados árabes contra a organização jihadista em solo sírio.

    O EI que controla vários territórios no Iraque e na Síria, lançou há uma semana uma ofensiva na região de Ain al-Arab com a finalidade de tomar esta cidade curda e garantir a continuidade territorial em uma vasta posição de território na fronteira com a Turquia e a Síria.

    Esta ofensiva obrigou mais de 130 mil civis curdos a fugirem e se refugiarem na Turquia.

    Por sua vez, o presidente norte-americano, Barack Obama, se reuniu ontem com os representantes dos cinco países árabes que integram a coalizão contra o EI em Nova York. Durante o encontro, organizado pelo Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, a margem da Assembléia Geral da ONU, Obama agradeceu a Arábia Saudita, os Emirados Árabes, a Jordânia, Bahrein e o Catar pelo seu apoio a luta contra o grupo jihadista.

    Irã O Secretário de Estado norte-americano, John Kerry teria avisado o ministro iraniano das Relações Exteriores, Javad Zaris, sobre a realização dos ataques contra o EI na Síria, informou a imprensa dos EUA.

    Nas últimas horas foram divulgadas noticias de que os EU atinham avisado o Irã antes de realizar os ataques. A imprensa norte-americana precisou que Teerã tinha sido informada também que os ataques não teriam, atingido as forças do regime de Damasco.

    Por sua vez, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon se reuniu hoje em Nova York, na sede das Nações Unidas, com o presidente iraniano Hassan Rohani e lhe pediu mais comprometimento na Síria, Iraque e Afeganistão.(ANSA)