EUA temem que Estado Islâmico tenha armas químicas

Além disso, a Itália alertou para risco de atentados na Europa

 Os Estados Unidos temem que armas químicas do regime do presidente Bashar al Assad na Síria que eventualmente não tenham sido recuperadas acabem nas mãos do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), que controla vastas áreas no país árabe e no Iraque.

    O alerta foi feito nesta quinta-feira (4) pela embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Samantha Power. "Se ficaram algumas armas químicas na Síria, existe o risco de elas serem tomadas pelo EI, e podemos imaginar o que faria uma organização do tipo com esses armamentos", disse.

    Segundo a diplomata, a comunidade internacional deve continuar pressionando para que Damasco resolva todas as discrepâncias e omissões nas suas declarações sobre agentes tóxicos em seu poder. 

Ameaça 

O ministro do Interior da Itália, Angelino Alfano, afirmou que é alto o nível de alerta no país e na Europa por conta de possíveis atentados dos jihadistas do Estado Islâmico e também daqueles que atuam na Líbia.

    "Precisamos trabalhar juntos para apagar o incêndio e impedir que os terroristas provoquem danos. Toda a Europa está ameaçada", completou. (ANSA)