'Minha sentença pede vingança', afirma Berlusconi

O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi afirmou que hoje é "um dia amargo e de luto para a democracia", referindo-se à votação que está para ser iniciada no Senado sobre a cassação de seu mandato de parlamentar. Ele também afirmou que sua condenação no processo Mediaset "clama por vingança diante de Deus".

Em um discurso a apoiadores e partidários do Forza Italia (FI) diante do Palácio Grazioli, sua residência oficial em Roma, Berlusconi afirmou que sua condenação é "uma sentença que clama por vingança diante de Deus e dos homens".

"O Senado, ou melhor, não todo o Senado, mas os nossos aliados de governo, se precipitaram nessa sentença para pedir a minha cassação", afirmou.

Berlusconi também acusou os juízes italianos de trabalharem para colocar a esquerda no poder. "É uma magistratura judiciária a favor do socialismo e contra o capitalismo burguês", criticou o ex-premier.

Ele disse ainda ter "absoluta certeza de que, ao fim da revisão do processo e dos novos recursos, haverá a reversão da sentença e sua completa absolvição".

"Não nos retiraremos para nenhum convento. Nós estamos aqui, permaneceremos aqui", disse Berlusconi a seus partidários. "Nós somos moderados. Criticaram este evento, mas essa é uma manifestação legítima e pacífica", afirmou, referindo-se à manifestação diante do Palácio Grazioli e contra sua cassação.

Berlusconi foi condenado a quatro anos de prisão por fraude fiscal no processo que ficou mundialmente conhecido como Mediaset. Devido à sua condenação, o Senado italiano votará nesta tarde a cassação de seu mandato parlamentar.