Premier líbio é libertado após sequestro

O primeiro-ministro líbio, Ali Zeidan, foi libertado após ser sequestrado nesta quinta-feira (10) em Trípoli por um grupo de ex-rebeldes armados, informaram fontes oficias.    

"Estou bem, as milícias que me prenderam queriam minha demissão", escreveu Zeidan em mensagem pelo Twitter. Zeidan assegurou que seu sequestro foi um "jogo político interno", e disse que manterá sua tarefa para conseguir um país democrático.    

Por sua vez, o governo italiano fez um pedido para que a situação de legalidade e de diálogo seja restabelecida na Líbia.    

"[A Itália] pede com firmeza um súbito restabelecimento da legalidade e a realização de uma efetiva ação de diálogo entre os diversos componentes da sociedade líbia", destaca uma nota do governo italiano.    

O primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, convocou uma reunião para avaliar a situação na Líbia após o sequestro de Zeidan, na qual foi decidido "um monitoramento das condições de segurança dos italianos [na Líbia] e um reforço do dispositivo de controle das navegações no mar Mediterrâneo".    

A Itália acompanha com preocupação os últimos acontecimentos na Líbia, país com a qual mantém importantes relações comerciais.    

Já o presidente da Comunidade do mundo árabe na Itália (Co-mai), Foad Aodi fez um apelo à Itália na qual pede ao governo de Letta que ajude no processo de democratização na Líbia.