El Paìs: presidentes publicam artigo sobre "Aliança do Pacífico"

Um artigo escrito à quatro mãos pelos presidentes do México, Enrique Peña Nieto, da Colômbia, Juan Manuel Santos, do Chile, Sebastián Piñera e do Peru, Ollanta Humala, explicam o "pico" nas economias do Pacifico e a "Aliança do Pacífico", parceria entre esses países firmada em 2011, que surtiu "como um mecanismo de integração profunda e abrangente, com o objetivo principal de criar um espaço onde a livre circulação de mercadorias, serviços, pessoas e capitais proporcionam desenvolvimento". O artigo foi publicado nesta quinta-feira (10/10), no jornal espanhol El Paìs.  

Segundo o texto, os países parceiros também querem chegar a um acordo comercial que inclui capítulos sobre acesso a mercados, regras de origem, facilitação do comércio, medidas sanitárias e fitossanitárias, barreiras técnicas, compras governamentais, serviços de fronteira, telecomunicações, serviços marítimos, serviços aéreos, e-commerce, os investimentos e os mecanismos de resolução de litígios. Os presidentes classificam o acordo como "um marco jurídico e institucional forte, que proporciona segurança para o investimento e comércio livre". Segundo eles, a "Aliança do Pacífico" tem um fundo específico para financiar projetos voltados para o desenvolvimento econômico e social, com um programa de bolsa de estudos e de uma rede de pesquisa científica sobre as mudanças climáticas e ainda propõe a pesquisa que promove políticas públicas para minimizar e reverter seus efeitos nocivos.

Os presidentes citam no artigo os setores mais beneficiados com a aliança, entre eles o Turismo e Farmacêutico, além de um projeto visando aumentar a competitividade e inovação entre as micro, pequenas e médias empresas. "Teremos também a abertura de um escritório conjunto para promoção comercial em Istambul (Turquia) e, em breve, a segunda em Casablanca (Marrocos). Essas representações conjuntas vão dar continuidade ao nosso bem-sucedido programa de missões diplomáticas coletivas", destaca o texto. E complementam: "...estamos incentivando o aumento do comércio e dos investimentos regionais para melhorar a nossa competitividade, não só a fim de capacitá-los para o benefício do nosso povo, mas também para explorar as oportunidades de negócios em regiões e economias de alto crescimento no mundo".

Para Enrique Peña Nieto, Juan Manuel Santos, Sebastián Piñera e Ollanta Humala, a Aliança do Pacífico aponta claramente para a modernidade, o pragmatismo e vontade política para estabelecer uma iniciativa de integração econômica de longo alcance, que representam os desafios do ambiente econômico internacional atual.