Fukushima: sistema para filtrar água contaminada é reativado

Tóquio - Técnicos da central nuclear de Fukushima reativaram hoje (30) um novo sistema de limpeza das águas contaminadas que são usadas para o arrefecimento dos reatores no complexo. O sistema foi desenvolvido pela Toshiba e preparado para retirar 62 dos 63 tipos de materiais radioativos presentes na água, restando apenas o trítio.

Os testes do novo sistema, chamado Sistema Avançado de Processamento de Líquidos, começaram no final da semana passada, mas foram suspensos horas depois de ter sido detectada uma obstrução em um dos tanques de drenagem da água contaminada. Hoje, o processo voltou à ativa.

Os funcionários da Tokyo Eletric Power (Tepco), empresa que administra a Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Nordeste do Japão, atingida por um tsunami em março de 2011, conseguiram resolver o problema e colocar o sistema novamente em funcionamento. Os peritos esperam que o novo sistema contribua de forma crucial para resolver o problema de acumulação de água contaminada na central de Fukushima, limpando-a em ritmo superior ao de armazenamento.

O novo sistema será capaz de filtrar agora 100 toneladas de água contaminada, que se juntam às atuais 500 toneladas que um sistema de filtragem já existente consegue limpar. Além de alguns vazamentos nos tanques de armazenamento de água contaminada, a central de Fukushima lança diariamente cerca de 300 toneladas de água radioativa no mar próximo à central, um grave problema que se supõe ser o principal desafio para os cerca de 3,5 mil funcionários que trabalham para desmantelar o complexo.