Campanha pretende arrecadar fundos para programas da ONU

O comissário-geral da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), Filippo Grandi, esteve hoje (30) na sede da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, na Avenida Paulista, em São Paulo, para o lançamento de uma campanha de arrecadação de fundos para a agência. Ela pretende arrecadar dinheiro para os programas sociais da agência, principalmente nas áreas de educação e saúde. A UNRWA assiste atualmente 5 milhões de refugiados palestinos que vivem na Faixa de Gaza, Cisjordânia, no Líbano, na Jordânia e Síria. na Síria viviam 528,7 mil palestinos refugiados.

“Havia cerca de 530 mil refugiados palestinos na Síria, antes da crise [que se instaurou no país]. Essa população é anterior à crise. Agora, a crise tem causado impacto sobre os refugiados e estimamos que metade deles se deslocou internamente ou deixou o país”, disse.

Grandi estima que 60 mil refugiados palestinos que viviam na Síria deixaram o país. A maior parte deles, cerca de 50 mil, foi para o Líbano. “Eles são refugiados pela segunda vez”, declarou, referindo-se também à origem dos refugiados palestinos, no conflito árabe-israelense.

A agência define os refugiados da Palestina como aqueles que residiam na região, entre junho de 1946 e maio de 1948, e que perderam as moradias e os meios de subsistência por causa do conflito árabe-israelense de 1948. Os descendentes desses refugiados podem se inscrever nas bases de operação da UNRWA.

Grandi disse que a atuação da UNRWA na Síria ocorre principalmente de duas maneiras: tentando manter os programas regulares de saúde e de educação, por exemplo, e também providenciando assistência especial para as vítimas da guerra no país. “Para muitos deles fazemos doações em dinheiro porque não têm meio algum ou damos comida para aqueles que não tem mais como comprá-la”, disse.

Segundo Grandi, a campanha pretende financiar, principalmente, a compra de equipamentos de saúde destinados a grávidas e para testes mais eficientes de detecção do diabetes, entre outros. “A questão dos refugiados palestinos é uma questão humanitária importante e que requer suporte e, sobretudo compreensão e compaixão”, declarou Grandi, durante o lançamento da campanha em São Paulo.

A campanha, segundo Riad Younes, membro da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, começa em outubro e termina no fim de novembro. Todos os recursos, de acordo com ele, serão depositados em uma conta das Nações Unidas no Brasil, sendo transferido diretamente à agência, sem intermediários.

“Recentemente estamos tentando ver como podemos ajudar nossos amigos da UNRWA a dar suporte melhor aos refugiados palestinos que vivem no Oriente Médio. Após várias reuniões, decidimos finalmente identificar problemas específicos, na área de saúde, e queremos suprir parte destas deficiências”, disse. As contribuições para a agência podem ser feitas por meio de uma conta no Citibank: banco 745, agência 008, conta 96910550.