Netanyahu será operado de hérnia umbilical em Jerusalém

Primeiro-ministro será substituído em encontro que vai definir libertação de presos palestinos

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, será operado de uma hérnia umbilical em um hospital de Jerusalém, informou seu gabinete por meio de comunicado. O chefe do Executivo israelense se sentiu mal durante o dia e foi atendido pelo médico pessoal e um cirurgião, que constataram a existência de hérnia umbilical.

A reunião semanal realizada todos os domingos pelo gabinete de Netanyahu será adiada. Além disso, um encontro de uma comissão de ministros para abordar a libertação de presos palestinos será liderada pelo ministro da Defesa, Moshe Yaalon. Dos 103 presos, 26 podem ser soltos pela comissão. Eles foram presos antes da assinatura dos Acordos de Oslo (1993) como condição para o reatamento do processo de paz.

"Uma tomografia computadorizada confirmou a hérnia e se decidiu por uma operação", afirmou o comunicado. A cirurgia deve durar cerca de uma hora e o mais provável é que o primeiro-ministro necessite apenas de anestesia local. A previsão é de que Netanyahu receba alta na tarde de domingo.