Obama anuncia mudanças nos programas de espionagem

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta sexta-feira (9) mudanças nos programas governamentais de espionagem e admitiu as crescentes preocupações quanto à privacidade dos cidadãos. Obama disse que vai permitir um maior controle externo dos programas e que vai solicitar ao Congresso que reveja uma parte da controversa Patriot Act, lei criada após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 e que ampliou o poder do governo americano para obter documentos privados, promover escutas telefônicas e buscas.

“Vamos tomar medidas para aumentar a supervisão, a transparência e o controle [do Patriot Act]”, disse Obama durante uma conferência de imprensa na Casa Branca. “Não basta que esses programas tenham a minha confiança. O povo norte-americano também deve confiar neles”, insistiu o presidente, garantindo que o objetivo do seu governo não é “espionar os cidadãos comuns”.

Por outro lado, o presidente norte-americano considerou que a chegada de Vladimir Putin à Presidência da Rússia, com quem diz “não ter más relações”, aumentou a retórica antinorte-americana por parte dos russos. Obama, que anulou a sua participação em uma reunião com Putin, previsto para o início de setembro, afastou a ideia de um boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno, que vão ocorrer em Sochi, na Rússia, em 2014.

A decisão de fazer a conferência de imprensa foi tomada depois de Edward Snowden, um ex-consultor de informática que se refugiou na Rússia, ter desencadeado uma crise ao revelar detalhes de um programa norte-americano de espionagem da internet e telefonemas.

Depois de Obama ter começado a conferência de imprensa, o chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, rejeitou a existência de uma guerra fria entre russos e norte-americanos, acrescentando que o caso Snowden não afeta a relação entre os dois países.

Em 25 de julho, a Câmara dos Representantes rejeitou uma proposta de corte de financiamento para alguns dos programas da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em Inglês) por uma estreita margem (205-217), sendo que democratas e republicanos demonstraram preocupação com a privacidade dos cidadãos.

A decisão russa de dar asilo a Snowden causou uma reação irritada dos norte-americanos, que querem julgar o ex-consultor. Depois da conferência de imprensa, Obama sai de férias com a família durante uma semana.