Militar que vazou dados para WikiLeaks é condenado por espionagem

Bradley Manning, o militar americano acusado de vazar milhares de documentos secretos para o site WikiLeaks, foi condenado nesta terça-feira por espionagem, informa a BBC. Por outro lado, ele foi absolvido da acusação mais greve, de ajudar o inimigo, cuja pena prevista era prisão perpétua. A sentença deve sair nos próximos dias. 

Manning foi considerado culpado em um total de 20 acusações - cinco por espionagem, cinco por roubo, uma por fraude de informática e outras infrações militares -, que podem fazê-lo ser sentenciado a uma pena de mais de 100 anos de prisão.

Ele admitiu ter vazado os documentos, mas afirmou que o fez para promover um debate sobre a política externa dos Estados Unidos. Entre os documentos estavam 470 mil informes do campo de batalha no Iraque e no Afeganistão e 250 mil comunicações entre Washington e embaixadas ao redor do mundo. 

O caso é considerado o maior vazamento de documentos secretos americanos da história.