Confrontos no Egito deixam dezenas de mortos

Confronto entre Forças Armadas egípcias  e partidários do presidente deposto Mohamed Mursi, que protestavam no Cairo, deixou dezenas de mortos neste sábado. Informações do Ministério da Saúde dão conta de que o total de vítimas chega a 38, todos civis, mas a Irmandade Muçulmana, aliada de Mursi, afirma que o número de vítimas é superior a 200, além de mais de 4 mil feridos.

Os confrontos teriam tido início antes da primeira oração do dia, por volta das 4h (23h de sexta-feira no horário de Brasília). Milhares de islâmicos que faziam vigília em uma mesquita tentaram bloquear a ponte Seis de Outubro, uma das principais do Cairo e que atravessa o Rio Nilo. A tentativa fez com que a polícia reagisse.

As informações são desencontradas quanto às condições deste confronto. Enquanto autoridades afirmam que foram usados apenas gás lacrimogêneo, fontes do hospital confirmaram que a maioria das vítimas morreu de ferimentos de bala.