Strauss-Kahn será processado por exploração sexual

Ex-diretor do FMI teria participado de festas com prostitutas

A Justiça francesa informou que o ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn será processado sob a acusação de exploração sexual, por ter participado de festas com prostitutas remuneradas no Hotel Cartlon, em Lille, cidade no norte da França. Os juízes decidiram processar Strauss-Kahn junto com mais 12 pessoas. 

Segundo o procurador de Lille, uma outra pessoa também será processada por "cumplicidade" e "abuso de confiança". Strauss-Kahn, que a partir de 2007 ocupou o cargo de diretor do FMI, foi preso no dia 14 de maio de 2011 no Aeroporto John F.    Kennedy de Nova York, pouco antes de embarcar para Paris, sob acusação de abuso sexual contra uma camareira. 

Colocado em detenção provisória, ele renunciou a seu cargo na instituição internacional após cinco dias, antes de ser levado a julgamento. Até então, o francês era considerado como possível candidato do Partido Socialista à Presidência da França nas eleições de 2012.