Sobe para 41 número de mortos em atentado no Paquistão

Um duplo ataque suicida, em um mercado no Noroeste do Paquistão, fronteira com o Afeganistão, deixou hoje (26) 41 mortos e 150 feridos, dos quais 20 em estado grave. Pelas investigações em curso, o ataque pode ter ligações com grupos religiosos armados que combatem a minoria muçulmana xiita. Os principais suspeitos são os talibãs paquistaneses. Os xiitas representam 20% da população do Paquistão, e são alvo frequente de ataques por grupos extremistas, que os acusam de corromper o Islã.

O ataque foi provocado por duas bombas que explodiram no momento em que vários clientes estavam no supermercado comprando alimentos para o final do jejum do Ramadã - quando as pessoas passam o dia em jejum e só depois que o sol se põe podem se alimentar. Foi o pior ataque desde o começo do feriado sagrado, em 11 de julho.

No começo desta semana, um grupo atacou o edifício onde funciona o Serviço de Informações Paquistaneses, na cidade de Sukkur. No ataque, morreram nove pessoas.