Polícia da Espanha corrige número de mortos no acidente de trem

 A polícia espanhola corrigiu para 78 o número total de mortos do acidente de trem em Santiago de Compostela, na Galícia (Espanha), na noite de quarta-feira (24), dois a menos do que o divulgado ontem (25). Ainda há seis corpos não identificados.

Esta revisão foi explicada como resultado de análise forense mais acurada dos restos mortais retirados do local do acidente. O processo de investigação concluiu que, em alguns casos, havia partes do corpo da mesma vítima em locais diferentes.

Em entrevista, o diretor geral da Polícia Científica, Antonio del Amo, explicou que, como houve fragmentação dos corpos, os números continuam sendo provisórios e ainda podem mudar.

O condutor do trem, Francisco José Garzón Amo, que estava a mais de 190 quilômetros por hora (km/h) em uma área cuja velocidade máxima é 80 km/h, continua internado no Hospital Clínico sob custódia policial. Ele é suspeito de imprudência. As autoridades aguardam a melhora do seu estado de saúde para tomar o depoimento.

Segundo o chefe da polícia da Galícia, Jaime Iglesias, a caixa-preta, que registrou os últimos momentos do acidente, está sob custódia policial e ainda não foi aberta.