Ariel Castro é condenado à prisão perpétua nos EUA

O "monstro de Cleveland" confessou o sequestro de três jovens

O ex-motorista de ônibus escolar Ariel Castro, que manteve três jovens em cativeiro por cerca de dez anos nos Estados Unidos, confessou hoje a autoria do crime, evitando a pena de morte, sendo condenado à prisão perpétua, sem direito a liberdade condicional. Castro, conhecido como "monstro de Cleveland", no estado de Ohio, foi acusado de sequestro, violação e homicídio, acusações das quais ele se declarou inocente anteriormente.  

Em maio deste ano, as autoridades locais descobriram três jovens, Amanda Berry, Michelle Knight e Gina De Jesus, escondidas na casa do ex-motorista. Durante o cativeiro, Berry deu à luz uma filha, que atualmente está com seis anos, fruto de violações por parte de Castro.