ONG diz que mais de 100 mil morreram na Síria, em 28 meses

Brasília – A organização não governamental (ONG) Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) divulgou hoje (25) que, desde o início do Ramadã, no último dia 10, pelo menos 2.014 pessoas morreram  na Síria. As mortes ocorrem tanto do lado dos que apoiam o governo, como também da oposição. Dos mortos, 1.323 eram militares.

O diretor da ONG, Rami Abdel Rahman, disse que o balanço “foi particularmente elevado nos últimos quatro dias". Segundo ele, “[todos] escondem o verdadeiro número de vítimas, por isso o balanço deve ser, de fato, mais elevado".

No total, a organização estima que mais 100 mil pessoas morreram na guerra civil na Síria, desde o começo, em março de 2011. A crise no país foi deflagrada pela pressão da oposição para que o presidente Bashar Al Assad abra mão do poder. Porém, Assad insiste que permanecerá no governo.

Pelo menos sete pessoas morreram hoje, em Damasco (capital da Síria), e 62 ficaram feridas em um atentado com um carro no subúrbio da cidade, em Jaramana.