Juiz chileno pede teste de DNA para confirmar se restos mortais são de Neruda

Brasília - O juiz chileno Mario Carroza determinou que o Serviço de Medicina-Legal chileno faça um teste de DNA para confirmar se os restos mortais exumados em abril são mesmo do escritor Pablo Neruda.

O pedido, feito ontem (23), faz parte das investigações, pedidas pelo Partido Comunista chileno, que apuram as causas da morte do poeta. A dúvida é se Neruda morreu por causa de uma doença sexualmente transmissível – como diz a versão oficial – ou se foi envenenado durante a ditadura de Augusto Pinochet.

Mario Carroza, encarregado da instrução do processo, explicou aos jornalistas que a ordem, dirigida ao Serviço de Medicina-Legal, para a perícia pretende esclarecer de forma científica, a identidade dos ossos.

O corpo até agora identificado como de Pablo Neruda foi exumado, em 8 de abril, do túmulo onde se encontrava desde 1992, na Ilha Negra, no litoral chileno, a cerca de 120 quilômetros de Santiago.

O juiz indicou que a diligência ocorrerá de forma paralela aos resultados dos exames toxicológicos que estão em análise na Espanha e nos Estados Unidos. "Oficiamos o Serviço de Medicina Legal para identificar os seus restos com familiares mais próximos", explicou Carroza.

Caso o DNA não coincida, um novo teste será feito com os restos mortais dos pais do poeta, sepultados no Sul do país.