Família de ex-presidente deve processar comandante das Forças Armadas do Egito

A família do ex-presidente do Egito Mouhamed Mursi, deposto no início do mês, disse hoje (22) que planeja processar o comandante das Forças Armadas do país, general Abdel Fatah Al Sisi, acusando-o de ter “raptado” o ex-chefe de Estado.

A filha do presidente deposto, Shaimaa Mursi, disse que a família está “tomando medidas legais nacionais e internacionais contra Abdel Fatah Al Sisi, o líder do sangrento golpe militar e contra o seu grupo golpista” e criticou “o silêncio das organizações de direitos e da sociedade civil sobre o crime de raptar um presidente legítimo”.

O ex-presidente está detido em um local secreto desde que foi deposto, em 3 de julho, após protestos generalizados no país.

Ontem, o novo governo, com o presidente interino do Egito, Adly Mansour, à frente, realizou sua primeira reunião e exortou todos os partidos a manterem as manifestações pacíficas, após semanas de protestos violentos.