Procuradoria do Egito mandar prender aliados políticos de Mursi

 O procurador-geral do Egito, Ahmed Ezzeldin, determinou hoje (4) a detenção dos dois principais líderes da Irmandade Muçulmana, organização política que apoiava o governo do presidente deposto Mouhamed Mursi. Ezzeldin disse que os líderes são suspeitos de ordenarem o assassinato de manifestantes contrários ao governo Mursi.

Ezzeldin ressaltou à agência oficial de notícias do Egito, Mena, que foi comprovada a veracidade dos relatos contra os dois líderes. A ordem de prisão foi dada a Mouhamed Badia e Khairat Al Shater. Desde ontem (3) as forças de segurança passaram a prender dirigentes da Irmandade Muçulmana, assim como o presidente do Partido Liberdade e Justiça, Saad Katatni

Ontem Mursi foi deposto do poder pelas Forças Armadas do Egito. Interinamente, ocupará a Presidência da República o presidente da Suprema Corte,  Adly Mansour, de 67 anos. Mansour foi empossado hoje.